QUEM SOMOS

A clínica

 

fotoclinicafinal

AVIVA foi criada pelos médicos Ana Carolina Campolina e Pablo Maricevich. Formados em Cirurgia Plástica pelo consagrado Professor Ivo Pitanguy, introduziram aqui, a multiplicidade de conhecimentos técnicos e doutrinários adquiridos com o mestre. Inspirados nessa valorosa experiência, concretizaram, neste espaço, sua filosofia: exercer a medicina buscando a harmonia física e psíquica do paciente.

AVIVA é uma palavra do idioma hebraico que significa primavera, renovação e felicidade. Providos deste espírito, propõe-se, aqui, uma transformação pessoal. Que a mudança física seja um estímulo para reencontrar a beleza que há no equilíbrio do corpo com a mente.

 


carolepablo-final

CIRURGIAS PLÁSTICAS
  • FACE

    • FACE LIFTING

      O envelhecimento facial tem dois componentes principais: a flacidez do tecidos e a perda do volume dos compartimentos de gordura. O face lifting atenua os sinais naturais do envelhecimento do rosto e do pescoço, reposicionando estes tecidos e retirando o que houver de excesso, sem causar mudanças na fisionomia, proporcionando um aspecto natural. Esta cirurgia aumenta a tensão da pele, reduz sulcos e rugas profundas e melhora a perda do tônus muscular que causa a “papada”. As cicatrizes são colocadas em pregas naturais da face, dentro do cabelo ou na linha do cabelo ficando, geralmente, muito discretas ou até imperceptíveis. Quando indicado, associado ao face lifting, são realizados outros procedimentos, como a blefaroplastia, os enxertos de gordura e a elevação do supercílio.

    • CIRURGIA DA PÁLPEBRA

      A cirurgia estética das pálpebras (blefaroplastia), proporciona uma aparência mais jovem, fazendo com que o olhar pareça mais descansado e alerta. Condições como o excesso de pele que pode prejudicar a visão, presença de bolsas de gordura volumosas e o mau posicionamento das pálpebras podem ser corrigidas com esta cirurgia. As incisões são sempre escondidas nos sulcos naturais das pálpebras ou podem ser internas nas pálpebras inferiores.

      No caso de defeitos adquiridos (tumores, queimaduras, acidentes, etc) ou malformações congênitas das pálpebras, uma cirurgia reconstrutora pode ser realizada. A chamada cirurgia periorbitária tem como principal objetivo garantir a função de proteção do globo ocular que as pálpebras possuem, buscando o melhor resultado estético possível.

    • CIRURGIA DO NARIZ

      A cirurgia do nariz, também conhecida como rinoplastia, melhora a aparência e a proporção do nariz na face. Além disso, possibilita a correção de dificuldades respiratórias causadas por anormalidades estruturais do nariz. O formato do nariz é, geralmente, resultado da hereditariedade, mas também pode ter sido alterado por traumas ou cirurgias prévias. A cirurgia pode mudar o tamanho do nariz, a largura do dorso, o perfil do nariz, a ponta do nariz, o tamanho das narinas e pode corrigir assimetrias e desvios nasais. A cirurgia está indicada quando o crescimento esquelético da face está finalizado (normalmente acima dos 14 anos para mulheres e 16 anos para homens). A cicatriz interna é utilizada em alguns casos selecionados e a cicatriz externa é quase imperceptível.

      No caso de defeitos adquiridos (tumores, traumas, queimaduras, etc) ou congênitos do nariz, uma cirurgia reconstrutora pode ser realizada, onde o principal objetivo é garantir a função na respiração que o nariz possui, aliado ao melhor resultado estético possível.

    • BICHECTOMIA

      Esta cirurgia consiste na retirada da bola de Bichat ou compartimento de gordura bucal. Este procedimento é realizado há décadas, mas só se popularizou recentemente, com atrizes americanas que desejavam afinar a face, deixando as maçãs do rosto mais evidentes. Esta gordura é retirada através de dois cortes realizados dentro da boca, nas bochechas, de aproximadamente 1 a 2 cm. A recuperação desta cirurgia é rápida e o principal inconveniente é o inchaço local que, apesar de discreto, pode demorar semanas para ceder completamente. Ainda cabe ressaltar que é uma cirurgia rápida e não deixa cicatrizes visíveis.​

    • CIRURGIA DA ORELHA

      A cirurgia da orelha ou otoplastia, melhora a forma, a posição e as proporções da orelha. A cirurgia corrige as orelhas em abano e outras malformações presentes desde o nascimento. Além disso, trata orelhas deformadas por trauma, infecções ou retirada de tumores. Esta cirurgia pode ser realizada a partir dos 6 anos de idade, já que nesta idade a orelha tem cerca de 90% do seu tamanho final.

      A correção das orelha em abano está indicada a partir dos 6 anos de idade, momento em que a orelha terá seu crescimento quase completo e a presença da deformidade pode de trazer repercussões psicológicas. A cicatriz fica escondida atrás das orelhas e a cirurgia cria uma forma natural que proporciona equilíbrio entre as orelhas e a face.

    • ELEVAÇÃO DO SUPERCÍLIO

      A elevação do supercílio reposiciona sobrancelhas baixas ou assimétricas e pode melhorar as rugas da testa e da região entre os olhos. A correção das sobrancelhas caídas faz com que o olhar pareça mais descansado e alerta. As incisões podem ser escondidas dentro da cabelo, exatamente na linha do cabelo ou pode-se aproveitar a incisão da blefaroplastia superior. Além disso, a cirurgia pode ser realizada com o auxílio da videoendoscopia e, neste caso, pequenas incisões são realizadas dentro do cabelo. Para cada paciente há uma indicação específica de qual incisão utilizar para tratar o supercílio.

    • IMPLANTES FACIAIS

      O contorno da face é determinado por três componentes: pele, tecidos moles e ossos. Se o contorno do seu rosto é desproporcional (queixo muito recuado, mandíbula sem definição ou bochechas muito planas), uma das alternativas de correção é o uso de implantes faciais. Estes são feitos de material biocompatível em diferentes formatos e tamanhos. Os implantes faciais mais utilizados são aqueles para o queixo, mandíbula e maçã do rosto, embora qualquer parte da face pode ser aumentada através deste recurso. O implante mais frequentemente utilizado é o Medpor® e sua inclusão é feita através de incisões internas e, por isso, inaparentes.

  • CONTORNO CORPORAL

    • LIPOASPIRAÇÃO

      Mesmo alimentando-se bem e mantendo uma frequência razoável de atividade física, algumas pessoas possuem um corpo desproporcional em razão de alguns depósitos de gordura localizada. A lipoaspiração é um procedimento cirúrgico que diminui e remodela áreas específicas dos corpo através da retirada de depósitos de gordura localizada. Este não é um procedimento para o tratamento da obesidade e não é um substituto de um programa adequado de dieta e atividade física. Pode ser realizada isoladamente ou em associação com algum outro procedimento cirúrgico. As cicatrizes são pequenas e é possível, na maioria dos casos, escondê-las na marca do biquíni, umbigo ou próximo de pregas naturais.

    • LIPOESCULTURA

      A lipoescultura consiste em modelar o corpo através da lipoaspiração de determinadas áreas e enxertia da gordura em outros locais. A gordura é retirada com seringas à vácuo, é tratada em um centrífuga e depois recolocada nas áreas desejadas a fim de harmonizar as proporções corporais. Esta é uma cirurgia bem indicada para tratar costas, abdome, culotes e glúteos.

    • CIRURGIA DO ABDOME

      A cirurgia do abdome, também conhecida com abdominoplastia, remove o excesso de gordura e pele do abdome. Se necessário, são reparados os músculos abdominais que estão separados e enfraquecidos, criando uma parede abdominal mais plana e firme. A lipoaspiração pode ser associada, auxiliando no desenho do contorno corporal. As cicatrizes não são pequenas, porém ficam escondidas na área do biquíni e dentro do umbigo.

    • LIFTING DE BRAÇO

      Oscilações no peso, envelhecimento e fatores hereditários podem fazer com que os braços fiquem com aparência flácida. O exercício pode fortalecer e melhorar o tônus muscular do braço, mas não trata o excesso de pele ou a gordura localizada. O lifting de braço ou braquioplastia retira o excesso de pele e de gordura entre a axila e o cotovelo remodelando o braço, o que resulta em uma aparência mais tonificada e firme. A cicatriz fica escondida na parte interna do braço ou, em casos leves, é possível posicionar uma cicatriz somente na região axilar.

    • LIFTING DE COXA

      Oscilações no peso, envelhecimento e fatores hereditários podem fazer com que as coxas fiquem com aparência flácida. O exercício pode fortalecer e melhorar o tônus muscular da coxa, mas não trata o excesso de pele que perdeu elasticidade ou a gordura localizada. O lifting de coxa ou lifting crural retira o excesso de pele e de gordura da parte interna das coxas, resultando em uma aparência mais tonificada e firme. A cicatriz fica escondida na região inguinal, podendo ser coberta pelo biquíni.

    • CIRURGIA PÓS-BARIÁTRICA

      Diante de grandes perdas ponderais, a pele e os tecidos, muitas vezes, não têm elasticidade e não acompanham e redução do tamanho do corpo. Como resultado, a pele, que foi severamente estendida pela gordura, perde a sustentação: os braços ficam flácidos, as mamas perdem volume e ficam caídas, o abdome e as costas podem ficar pendentes em forma de avental, e as nádegas e as coxas podem apresentar grande flacidez. O lifting de coxa, o lifting de braço e a abdominoplastia são cirurgias que podem ser aplicadas nessas situações. Além destes procedimentos, há o body lift, que trata as nádegas, o abdome, a cintura, os quadris e a parte lateral da coxa em um único, ou vários, procedimentos. A incisão é circunferencial, em torno do corpo, para remover o “cinto” de excesso de pele e de gordura.

    • IMPLANTES DE GLÚTEOS

      Mesmo fazendo exercícios específicos e alimentando-se bem, algumas pessoas possuem os glúteos pouco desenvolvidos. Os implantes glúteos são uma opção para aumentar o tamanho e a projeção dos glúteos. O implante é colocado dentro do músculo e a cicatriz fica escondida no sulco entre um glúteo e o outro. Esta cirurgia pode ser associada a uma lipoaspiração das costas e/ou enxertia de gordura na região glútea, valorizando ainda mais o resultado.

    • IMPLANTE DE PANTURRILHA

      Mesmo fazendo exercícios específicos e alimentando-se bem, algumas pessoas possuem uma panturrilha pouco desenvolvida. Isto pode acontecer em decorrência de fatores hereditários, ou pode ser uma sequela de trauma ou de doença neuromuscular prévia. Os implantes de panturrilha aumentam o volume da porção posterior das pernas e podem corrigir assimetrias significativas entre uma perna e outra. A cicatriz fica escondida na parte de trás do joelho, na dobra entra a panturrilha e a coxa.

  • MAMA

    • IMPLANTE MAMÁRIO

      A mamaplastia de aumento é um procedimento cirúrgico que usa implantes de silicone para aumentar o tamanho e a projeção das mamas ou restaurar seu volume após perda significativa de peso ou gravidez. A mamaplastia de aumento também pode ser uma opção para tentar corrigir uma assimetria quando há uma desproporção significativa no tamanho entre uma mama e a outra. A mamaplastia de aumento não corrige mamas significativamente caídas. Se você quiser que suas mamas fiquem mais volumosas e levantadas, provavelmente uma mastopexia associada será necessária. As cicatrizes são colocadas em áreas pouco visíveis e as opções são: o sulco mamário, a metade inferior da aréola ou a axila.

    • MASTOPEXIA

      Frequentemente, as mamas das mulheres perdem a sua forma jovem e firmeza durante a vida. O lifting das mamas ou mastopexia é um procedimento cirúrgico que levanta, firma e remodela as mamas através da remoção do excesso de pele. Ainda, se houver insatisfação com o tamanho atual da mamas, uma mamaplastia de aumento com implante de silicone ou uma mamaplastia redutora pode ser associada. A cicatriz resultante nas mamas é, geralmente, no formato da letra “T” invertida e ao redor da aréola. Em casos selecionados, cicatrizes menores podem ser realizadas.

    • RECONSTRUÇÃO DE MAMA

      A reconstrução da mama é um procedimento física e emocionalmente gratificante para uma mulher que perdeu a mama devido ao câncer ou à outra situação. A reconstrução da mama objetiva restaurar a forma, aparência e tamanho da mama após uma mastectomia. Tipicamente, envolve vários procedimentos em vários estágios. Pode ser realizada no mesmo tempo da retirada da mama ou pode ser adiada até a paciente recuperar-se da mastectomia ou de qualquer outro tratamento adicional do câncer. Embora a cirurgia possa atingir um resultado relativamente natural, a mama reconstruída nunca será igual à mama que foi removida. A sensibilidade também não será a mesma.

    • MAMAPLASTIA REDUTORA

      Mamas grandes podem causar problemas físicos e emocionais nas mulheres. O peso do excesso de tecido mamário pode dificultar a realização das atividades no trabalho e no dia-a-dia. A mamaplastia redutora é um procedimento cirúrgico que remove o excesso de gordura, tecido glandular e pele, conferindo à mama um tamanho mais proporcional ao corpo e aliviando o desconforto físico associado às mamas grandes. A cicatriz resultante na mama geralmente é em formato da letra T invertida e ao redor da aréola.

  • OUTRAS CIRURGIAS

    • LIPOENXERTIA

      A lipoenxertia é o procedimento onde a gordura do paciente é aspirada, processada e reinjetada. Não há risco de rejeição por tratar-se da gordura do próprio corpo do paciente. Além disso, sabe-se que a gordura leva consigo células que melhoram a qualidade da pele ou da cicatriz onde ela é colocada. Sabe-se que estas células, na face, aumentam as fibras de colágeno e elastina na pele. Essa gordura pode ser usada para corrigir ou atenuar qualquer assimetria facial ou corporal. Também é adjuvante nas reconstruções, ameniza rugas e sulcos na face além de conferir volume a determinadas áreas do corpo. As incisões para realizar a lipoenxertia são mínimas e imperceptíveis. Algum grau de reabsorção desta gordura é esperado e é dependente do processamento da gordura e da área receptora do enxerto.

    • CORREÇÃO DE CICATRIZ

      A cirurgia de correção de cicatriz é uma tentativa de melhorar a condição ou aparência de uma cicatriz em qualquer parte do corpo. A correção da cicatriz é uma segunda chance que se dá para o corpo formar uma nova cicatriz, no mesmo local, porém de melhor qualidade. As cicatrizes são resultados inevitáveis de uma lesão ou cirurgia e seu desenvolvimento pode ser imprevisível. O tipo de cicatriz (hipertrófica, quelóide ou contratura) irá determinar a técnica cirúrgica para sua correção. É importante ressaltar que uma cicatriz não pode ser completamente apagada.

    • GINECOMASTIA

      Ginecomastia é o hiperdesenvolvimento ou aumento das mamas nos homens . Pode acontecer em todas as idades devido às mudanças hormonais, hereditariedade, secundário à doenças ou pelo uso de determinados medicamentos. A ginecomastia pode causar importante repercussão emocional, limitando a socialização dos portadores dessa deformidade. Muitos se privam de realizar atividades físicas, frequentar lugares públicos e criam restrições na intimidade para esconder a sua condição. A correção cirúrgica da ginecomastia retira o excesso de gordura, tecido glandular e/ou pele das mamas, deixando a região peitoral com um contorno natural. A cicatriz, geralmente, fica na parte inferior da aréola ou, excepcionalmente, em casos severos, ao redor de toda aréola.

    • CIRURGIA PARA HOMEM

      Cada vez mais, homens de todas as idades e de todas as classes sociais querem se submeter à cirurgia plástica por razões estéticas. Os objetivos dos homens incluem um nariz mais proporcional, o rosto e ou olhos rejuvenescidos, a cintura menos marcada, entre outros. Cirurgias como rinoplastia, blefaroplastia, face lifting, otoplastia, lipoaspiração e abdominoplastia são exemplos de procedimentos que são realizados com frequência em homens. Contudo, existem diversas peculiaridades que diferenciam a cirurgia da mulher e do homem, devendo-se sempre considerar os traços masculinos, a espessura da pele, a linha e a densidade do cabelo, a presença de barba e a anatomia corporal.

    • TUMOR DE PELE

      A cirurgia de tumor da pele consiste na retirada cirúrgica de áreas da pele anormais ou que são suspeitas de serem anormais. Uma área anormal de pele pode ser chamada de lesão. Em algumas situações a cirurgia visa a retirada da lesão para definir se há presença de câncer de pele ou alguma outra doença. No caso de haver câncer de pele, poderá ser necessária a retirada de mais tecido local e exames serão feitos para assegurar a sua remoção por completo.
      Mais especificamente sobre o câncer de pele, o principal objetivo do tratamento é a retirada completa da lesão e, o defeito resultante é reconstruído de forma a preservar ao máximo a aparência do paciente.

    • CIRURGIA ÍNTIMA DA MULHER

      A cirurgia íntima da mulher ou ninfoplastia melhora a aparência da região genital feminina. A retirada do excesso de pele dos pequenos lábios e aumento do volume dos grandes lábios com a gordura do próprio corpo proporcionam uma melhora estética importante e rejuvenescem essa região. É importante salientar que as técnicas aqui utilizadas não interferem na sensibilidade local e as cicatrizes são inaparentes.

CIRURGIA PERIORBITÁRIA
  • PTOSE PALPEBRAL

    A ptose palpebral é uma queda da pálpebra superior em diversos graus, podendo ser leve e passar despercebido ou mesmo resultar em uma incapacidade total de abertura da pálpebra. A ptose pode acometer um dos olhos, mas é mais comum ser bilateral. Esta anormalidade pode estar presente no nascimento por problemas anatômicos ou pode surgir durante a vida secundária a tumores, traumas, fraqueza dos tecidos internos da pálpebra em idosos, dentre outros. A cirurgia pode ser realizada através de uma incisão no sulco palpebral, assim como é feito na blefaroplastia estética. Em certos casos, pode ser necessária a realizações de incisões internas nas pápebras superiores ou ainda a realização da passagem de fios ancorados na fronte.

  • RECONSTRUÇÃO PALPEBRAL

    A região ao redor dos olhos é muito nobre, seja pela delicadeza anatômica, seja pela importante função que exerce de proteção do globo ocular. A reconstrução desta área pode ser necessária devido à sequela de queimaduras ou traumas, tumores de pele, tumores vasculares, etc. Malformações congênitas também podem requerer reconstruções parciais ou totais das pálpebras. De acordo com cada deformidade é possível utilizar retalhos locais, retalhos à distância ou enxertos de tecidos. Geralmente, vários procedimentos cirúrgicos são necessários para alcançar o resultado desejado. Ressalta-se que a prioridade é reestabelecer a função palpebral e, sempre que possível, conciliar com a melhora estética.

  • ENTRÓPIO E ECTRÓPIO

    Entrópio é a inversão das pálpebras inferiores, ocasionando um contato entre os cílios e os olhos, levando à irritação do globo ocular. Esta é uma deformidade que pode ser encontrada no nascimento e, nestes casos, tem indicação cirúrgica precoce na maioria das vezes. Também pode ocorrer por fraqueza de parte da musculatura palpebral ou por retração da parte interna das
    pálpebras, secundária a cicatrizes. As incisões para a correção são feitas na linha inferior dos cílios e/ou na parte interna das pálpebras.

    Ectrópio é a retração da pálpebra inferior com consequente exposição indevida do globo ocular. Essa deformidade é mais comumente encontrada após blefaroplastias estéticas onde foi retirada pele em excesso. Outras causas são congênitas (ausência de estruturas anatômicas ou trauma do parto), trauma, sequela de queimaduras ou retrações de cicatrizes faciais. As incisões são realizadas na linha ciliar inferior sendo necessário reposicionar a pálpebra inferior na maioria dos casos, associando o uso de enxertos de pele e cartilagem para sustentação, quando indicado.

  • MALFORMAÇÕES CONGÊNITAS

    São diversas as malformações periorbitárias que podem estar presentes no nascimento. Muitas delas estão associadas a síndromes ou às fissuras faciais. Nestes casos é importante avaliar se há condição física ou mesmo indicação para a correção precoce da deformidade palpebral. Até o tratamento definitivo, é importante proteger o globo ocular e lubrificá-lo, a fim de preservar sua função.

CIRURGIA CRANIOFACIAL
  • FRATURAS DE FACE

    Fraturas dos ossos da face podem ocorrer em decorrência de agressões físicas, acidentes automobilísticos, quedas, esportes de contato ou traumas de qualquer natureza. Quando estas fraturas têm repercussão funcional ou causam deformidades importantes na face, há indicação de correção cirúrgica. Na maioria dos casos, a cirurgia para correção destas fraturas não são realizadas imediatamente após o trauma, esperando-se alguns dias até o inchaço regredir. O objetivo da cirurgia é acessar a fratura, reposicionar os ossos no lugar e fixá-los para que se consolidem na posição correta.

  • MALFORMAÇÕES CONGÊNITAS DA FACE

    Existem malformações craniofaciais que são nítidas no nascimento e outras que se tornam perceptíveis ao longo do desenvolvimento da criança. Nestes pacientes, alguns movimentos cirúrgicos ósseos e de partes moles podem ser realizados para corrigir problemas funcionais ou amenizar a deformidade. São exemplos destas malformações: síndrome de Crouzon, síndrome de Apert, hipertelorismo, microssomia hemifacial, síndrome de Treacher-Collins, síndrome de Binder, síndrome de Romberg e sequência de Pierre-Robin. Osteotomias com movimentos ósseos, distracção osteogênica, enxertos e retalhos ósseos ou de partes moles, implantes e próteses faciais, e/ou lipoenxertia são técnicas cirúrgicas usadas nestes casos.

  • RECONSTRUÇÃO DOS OSSOS DA FACE E CRÂNIO

    Após um trauma ou uma cirurgia realizada na face ou no crânio, algumas deformidades podem persistir. Não é incomum a necessidade de realizar mais de uma cirurgia para chegar a um resultado estético aceitável nos traumas craniofaciais graves. Além do mais, dependendo da gravidade do caso, deformidades que não impliquem em risco de morte iminente, não são tratadas naquele momento, sendo postergadas para quando o paciente superar a fase crítica. Deformidades no nariz, na posição do olho, no formato do rosto, desalinhamento da mordida, descontinuidade óssea na mandíbula e ausência de parte do osso do crânio são exemplos disso. A reconstrução pode ser realizada com refratura e reposicionamento do osso, uso de enxertos ou retalhos ósseos, implantes ou próteses faciais e/ou lipoenxertia.

  • CIRURGIA DO QUEIXO

    A cirurgia do queixo ou mentoplastia, remodela o queixo utilizando implantes aloplásticos (quando o objetivo é aumentar) ou o próprio osso (que pode avançar ou recuar o queixo além de corrigir pequenos desvios laterais) . A indicação da cirurgia do queixo deve passar por uma análise proporcional da face, onde a oclusão dentária também deve ser levada em consideração. A incisão da cirurgia da queixo é por dentro da boca, deixando uma cicatriz interna, portanto não visível. Muitas vezes a cirurgia do queixo é realizada junto com a cirurgia do nariz, de modo a atingir um equilíbrio da face como um todo e melhorar o perfil facial.

PROCEDIMENTOS
  • TOXINA BOTULÍNICA (BOTOX ®)

    Movimentos faciais como sorrir, franzir a testa, apertar os olhos e até mastigar podem, eventualmente, levar aos sinais mais comuns de envelhecimento: as rugas. As rugas fazem você parecer cansado ou até irritado quando não está. Uma opção rápida e segura para remover as rugas é a injeção de toxina botulínica. Outra boa indicação deste procedimento, é realizá-lo preventivamente, antes das rugas surgirem. Iniciando a aplicação da toxina precocemente, os vincos da pele não se formam e as rugas demoram mais tempo para aparecer. A aplicação da injeção geralmente leva menos de 15 minutos. Não é necessário aplicar anestesia. Não há tempo de repouso ou de recuperação. Os resultados são notados dentro de alguns dias. Esta melhora, normalmente, dura cerca de três a seis meses. Tratando os músculos específicos, enfraquece-se apenas os músculos produtores de rugas, preservando as expressões faciais, mantendo um resultado natural.

  • PREENCHIMENTO CUTÂNEO

    Preenchimentos dérmicos injetáveis são usados para aumentar lábios finos, melhorar contornos superficiais e suavizar rugas faciais. Oferecem muitos dos benefícios de um lifting cirúrgico, sem o período de inatividade. Embora não possam ajudar com a flacidez da pele em excesso, estes preenchimentos faciais adicionam volume e apresentam resultados imediatos a um custo menor do que a cirurgia. Estes tratamentos não são permanentes, no entanto, podem ser repetidos. O material usado para realizar estes preenchimentos é o ácido hialurônico , substância natural encontrada no corpo humano e tem absorção variável, entre 6 a 18 meses.

  • DERMOABRASÃO

    A dermoabrasão ajuda a refinar as camadas superficiais da pele por meio de um método controlado de raspagem cirúrgica. O tratamento suaviza as irregularidades da superfície, dando à pele uma aparência mais jovem. A dermoabrasão é utilizada para suavizar rugas faciais superficiais, tendo ótima indicação para a região ao redor da boca. Além disso, também é útil para melhorar a aparência da pele da face com cicatrizes de acne, traumas ou cirurgias. Alguns tumores de pele, como o tricoepitelioma, apresentam melhora com este procedimento.

  • PEELING QUÍMICO

    Soluções químicas são aplicadas na pele para melhorar a textura, removendo as camadas mais externas danificadas. O peeling químico atua nas camadas mais superficiais da pele resultando num aspecto mais jovem e saudável. É possível melhorar a acne ou as cicatrizes de acne, as manchas, rugas, a pigmentação irregular da pele, a pele áspera e a pele fotoenvelhecida. É complementar ao tratamento cirúrgico da face já que atua nas camadas mais superficiais da pele.

Segurança do paciente

 

seguranca

Segurança em 1º lugar

1. Antes da cirurgia é necessário uma investigação médica completa:
É imprescindível relatar: doenças, cirurgias anteriores e presença ou não de alguma complicação; alergias e reação às anestesias anteriores; medicações de uso regular, hormônios, vitaminas, ervas, arnica, álcool, cigarro e outras drogas. Todos os suplementos alimentares, por mais inocentes que pareçam ser, devem ser relatados ao cirurgião.

2. Certificar-se do local onde será realizada sua cirurgia:
Todo procedimento cirúrgico envolve riscos e, se porventura alguma complicação ocorrer, você precisa estar em um estabelecimento com estrutura física que possibilite o suporte médico adequado.

3. No dia da cirurgia:
Não se esqueça do jejum. Lembre-se que para chegar até aqui você precisa ter feito sua parte. Medidas como parar de fumar, perder peso e interromper o uso das medicações solicitadas pelo seu cirurgião são muito importantes! O correto seguimento das recomendações pré e pós-operatórias é fundamental para o sucesso da sua cirurgia.


Prevenir sempre

Bom paciente, bom cirurgião, boa cirurgia. Um paciente bem informado, realista e positivo sempre contribui para um bom resultado. Além disso, realizar a cirurgia em um bom momento físico e emocional é muito importante. A cirurgia plástica, na maioria das vezes, não é uma cirurgia de urgência e, por isso, se o momento não for adequado por questões de saúde ou mesmo psicológicas, o melhor é postergar o procedimento para uma outra data.


RISCO X BENEFÍCIO

Só você pode decidir se a cirurgia proposta alcançará suas metas e se os riscos são aceitáveis. Seu cirurgião tem a obrigação de explicar-lhe com detalhe os riscos associados a cada procedimento. Por esse motivo é necessário sua autorização por escrito no termo de consentimento livre e esclarecido para assegurar um correto entendimento da cirurgia a qual você será submetida.
Certifique-se de que suas expectativas são realistas, pesquise antes de decidir pela cirurgia e confie no cirurgião ou cirurgiã que você escolheu.


Instalação médica credenciada

É imprescindível que a cirurgia ocorra em um ambiente seguro e confiável. Uma instalação credenciada é aquela que cumpre todos os parâmetros nacionais de equipamentos e de segurança da sala de cirurgia, além de possuir recursos técnicos e estruturais para conduzir uma eventual complicação cirúrgica ou pós-cirúrgica.


A escolha do cirurgião

Confiança e empatia são indispensáveis para a consolidação de uma saudável relação médico-paciente. A escolha de um cirurgião qualificado é o primeiro passo na segurança de que a cirurgia irá atender as suas expectativas. No site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, no item ENCONTRE UM CIRURGIÃO, é possível ter acesso a lista de todos os cirurgiões plásticos membros efetivos da SBCP.


Pergunte ao cirurgião

Para um bom resultado cirúrgico é importante que haja um boa comunicação com o seu cirurgião e que suas metas sejam realistas. O real entendimento das suas expectativas e motivações é essencial para uma boa parceira entre você e o seu cirurgião.  Faça quantas perguntas você quiser,  sinta-se livre para isso. Você terá todos os contatos da equipe médica para esclarecer eventuais dúvidas.


 

Perguntas frequentes

 

Perguntas frequentes

1. Qual é o custo de uma cirurgia plástica?

Os honorários médicos podem variar de acordo com formação do cirurgião e com o tipo de procedimento a ser realizado. Além disso, o local escolhido pelo médico, deve ser adequado e garantir a segurança do paciente. Para se saber o custo de cada cirurgia, deve-se considerar:

• Honorários: do cirurgião, dos cirurgiões assistentes , do anestesista, da instrumentadora cirúrgica e da enfermeira da equipe.
• Custos hospitalares.

Para determinadas cirurgias, pode ser necessário:
• Malhas compressivas e meias;
• Fisioterapia e drenagem linfática pós-operatória;
• Próteses, implantes ou materiais cirúrgicos específicos;
• Honorários de outro especialista médico (patologista, clínico, etc.)


2. A AVIVA trabalha com planos de saúde?

A AVIVA não é conveniada a nenhum plano de saúde. Mas ao mesmo tempo trabalha com todos os planos de saúde.
O que isso quer dizer?
A explicação é a seguinte: os honorários médicos de consultas e cirurgias não são cobertos pelos planos e tem que ser pagos pelo paciente. No entanto, determinadas cirurgias – principalmente as cirurgias reparadoras – podem ter seu custo hospitalar e parte dos honorários médicos reembolsados ou mesmo cobertos pelo plano de saúde.


3. Minha cicatriz vai ficar boa?

A cicatriz é um processo biológico no qual o cirurgião não tem o controle absoluto, entretanto, é uma consequência inevitável de qualquer cirurgia. Cabe ao cirurgião plástico posicioná-la no corpo da forma mais discreta possível. A qualidade da cicatriz depende basicamente de três fatores:

• Técnica cirúrgica: é como o cirurgião realiza o fechamento minucioso  da ferida cirúrgica.
• Comprometimento do paciente: diz respeito ao seguimento rigoroso das orientações dadas pelo cirurgião ao paciente no pré e pós-operatório (ex: parar de fumar, uso de malhas compressivas, evitar certas atividades, evitar exposição solar, cuidados com a cicatriz, etc).
• Organismo do paciente: alguns fatores étnicos podem levar a um padrão de cicatrização mais favorável, mas o corpo pode cicatrizar de maneira exagerada por razões não conhecidas. Este fator nem o paciente nem o cirurgião podem controlar.


4. É possível garantir o resultado de uma cirurgia plástica?

Na Cirurgia Plástica, como em toda especialidade médica, não se pode prometer resultados ou garantir o sucesso do tratamento. O cirurgião deverá informar ao paciente os benefícios e os riscos de cada procedimento. A cirurgia plástica é um ato médico e, como toda prática médica, constitui uma obrigação de meio, não de resultado. Obrigação de meio significa que o médico precisa ter formação médica especializada para exercer determinada cirurgia e utilizar técnicas reconhecidas mundialmente com sólido embasamento científico.  Também é obrigação do cirurgião, realizar os procedimentos em local adequado utilizando os melhores materiais disponíveis no mercado e oferecendo o melhor resultado possível para cada paciente.  Contudo, não há garantia de determinado resultado.


Agende uma consulta

 

Preencha o formulário abaixo para que possamos entrar em contato.​
Todos o campos marcados com * são obrigatórios.

Telefones: 81 3032 2221 / 81 3032 2212
E-mail: contato@avivacirurgiaplastica.com.br

Endereço: Avenida Antônio de Góes, 275 – sl 407
Pina – Recife, PE – Brasil
CEP: 51110-000

Saiba como chegar:

mapa

Imagem de Pablo e Ana Carolina

Siga a AVIVA nas redes sociais: